Imagem Corporal e o Psicomotricista

Qual é o papel do Psicomotricista em relação a Imagem Corporal de seu assistido?

Não existe um consenso absoluto sobre a definição de “imagem corporal” e muitos outros conceitos estão a ele associados, como o de “consciência corporal” e “esquema corporal”… que são, por vezes, equivocadamente tratados como similares.

Cada conceito é elaborado a partir de outros conceitos, a partir de um contexto conceitual, portanto, conceitos de “imagem corporal” podem conter uma certa inconsistência epistemológica, o que acarreta em confusão no entendimento, na importância que o conceito possui, na sua competência em descrever o fenômeno natural pretendido, e por fim, como este conceito pode colaborar para o aprimoramento de uma intervenção psicomotora, que é o que mais nos interessa.

Inspirados pela Psicologia Analítica, podemos dizer que a imagem que estamos querendo retratar como “imagem corporal”, é a “imagem psíquica do corpo” que o indivíduo cria, tendo como foco seu próprio corpo físico ou biológico.

Cada indivíduo cria então, a partir de sua percepção consciente e inconsciente, uma imagem psíquica de seu próprio corpo.

Sugiro o vídeo abaixo, onde falo sobre percepção e construção de imagem psíquica

Esta imagem corporal não necessariamente corresponde a uma imagem fidedigna, o que gera distorções sobre a consciência que o indivíduo possui sobre o seu próprio corpo.

Se partirmos do pressuposto que o autoconhecimento é importante para o desenvolvimento integral do indivíduo, construir uma imagem corporal mais fidedigna possível, contribuirá para que o indivíduo tenha maior consciência de Si-Mesmo.

Como numa visão sistêmica, a imagem corporal é construída num contexto sistêmico e altamente dinâmico, esta imagem sempre estará em desenvolvimento, sendo reconstruída o tempo todo.

Na infância esta imagem corporal tenderá a estar mais relacionada ao conhecimento do corpo físico, seu desenvolvimento, suas possibilidades e habilidades, juntamente com o conhecimento da personalidade ou Eu-Menor (Ego).

Na fase da juventude esta imagem corporal vai sendo incrementada com outras facetas do desenvolvimento, acrescentando importante fator da sexualidade nesta incrível e fascinante construção da imagem corporal.

Na fase adulta, a imagem corporal tende a assumir um papel cada vez mais “submisso”, na medida que o amadurecimento faz com que a Individualidade ou o Eu-Maior (Self) vá se tornando mais consciente e o Indivíduo passa a ver o corpo e a personalidade ou Eu-Menor como expressões do Eu-Maior ou Individualidade.

Desta maneira a imagem corporal passa por sérias e profundas transformações, se despojando do protagonismo egocêntrico do Eu-Menor para um papel, não menos importante, de uma expressão da Individualidade, ou expressão do Eu-Maior.

Concluindo, a imagem psíquica que fazemos de nosso corpo ou “imagem corporal” não é algo que se constrói e pronto, está finalizada.

A imagem corporal estará sempre em re-construção e o papel do psicomotricista é favorecer o desenvolvimento integral de seu assistido através do desenvolvimento de vários fatores dentro do contexto do desenvolvimento, e a imagem corporal é um destes fatores.

lino

 Prof. Lino Azevedo Júnior

Ah… deixe o seu comentário abaixo, queremos saber o que você pensa a esse respeito!!!

Saiba quais são os 7 passos para prescrever as suas atividades psicomotoras!

Receba eBook GRÁTIS em seu e-mail

2 Comentários

  1. Carmo Penteado

    Muito bom texto. Parabens

  2. Emilene

    Importante reflexão sobre a importância do psicomotricista no favorecimento do desenvolvimento integral do indivíduo. Gratidão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *