A importância do professor no desenvolvimento psicomotor na educação infantil

Educação é uma daquelas palavras que, quando citada, todo mundo tem alguma coisa a dizer, mesmo porque, fomos educados e somos educadores de alguma maneira. Mas essa educação é uma educação informal, orientada pelas nossas próprias vivências, crenças, erros e acertos, hipóteses pessoais e influências de nossa cultura humana histórica construída desde os primórdios da raça humana, e pela cultura temporal e regionalizada nos continentes, países, estados, municípios, bairros e finalmente, a família. Mas se perguntarmos a esses Educadores, afinal: O que é Educação? Qual é o seu objetivo? Talvez fiquemos surpresos com as respostas ou com a falta de respostas.

É aqui que se encontra uma diferença entre o conhecimento popular e o científico, e consequentemente, a diferença entre um Educador e um Educador Profissional ou PROFESSOR.

O Professor é aquele que se dedicou ao estudo organizado pelo método científico, legalizado e sistematizado visando sua formação profissional, habilitando-o a atuar como aquele profissional que sabe o que é Educação, seu Objetivo geral e os específicos, conhecedor do processo de ensino-aprendizagem, seus métodos e de como transformar a convivência didática entre professor-aluno, em uma prática Educacional eficaz, além de, com sensibilidade e criatividade, administrar todos os outros fatores pertinentes ao complexo sistema educacional.

Esse professor ou professora agora formado e habilitado sai a campo e é colocado a sua frente uma classe de alunos da educação infantil, visando cumprir o seu papel profissional, mas também a exercer sua missão existencial ou vocação de promover a educação de crianças pequenas, o que lhe confere uma oportunidade imensa de educar almas que iniciam uma caminhada neste mundo como se fossem esculturas de futuros homens e mulheres que começam a ser forjados no barro macio, muito susceptível e influenciável pelos toques mais sutis de seus artífices, seus professores.

Para solicitar nosso eBook “Como Prescrever Atividades Psicomotoras” clique aqui!

Dependendo dos pequenos toques e do refinamento que o professor dispensar como modelador desse material hipersensível que é o Ego infantil (ou Eu, ou Personalidade Consciente que está se desenvolvendo), escolhas e caminhos diferentes poderá ser percorrido durante a vida desta alma que está, agora, sob a égide deste professor, ganhando este professor o mérito de ter contribuído, muitas vezes no anonimato e por vezes com a falta de reconhecimento, com o sucesso conquistado. Mas por outro lado, quando e se por ventura, o professor se comportar como um mal profissional, também sua responsabilidade é devida. Então se tem de um lado uma oportunidade incomensurável, mas que também vem com uma correspondente responsabilidade. Lidar com as almas das pessoas é uma tarefa muito valorosa, mas também requer muitos cuidados, conhecimento, sensibilidade, paciência, criatividade e um amor incondicional, pois o corpo é efêmero, mas a alma é perene.

Educação

O processo da vida pode ser considerado como um processo educacional, na medida em que proporciona de forma natural o desenvolvimento integral das criaturas.

Este processo educacional natural pode ser fomentado de maneira sistemática e intencional por professores, onde então Educação é o processo que tem por objetivo o desenvolvimento integral dos alunos.

Outro nome que podemos dar a esse processo de desenvolvimento integral do individuo é aquele utilizado na Psicologia Analítica de Carl Gustav Jung, chamado de INDIVIDUAÇÃO.

Para alguns, o termo desenvolvimento integral pode soar como meio vago, pois o que será que estará incluso neste termo “integral”? Será que é satisfatório dizer que neste termo está incluso somente às dimensões física, emocional, cognitiva e social? E as tantas outras que podemos classificar como sendo legítimas dimensões humanas? O termo Individuação no contexto Junguiano nos mostra esse complexo sistema com mais detalhes e maior profundidade, por isso consideramos como termo técnico / científico mais indicado.

Educação então é o processo de desenvolvimento integral do indivíduo, que também pode ser chamado de individuação.

Psicomotricidade

Considerando o indivíduo como a Totalidade de um Ser Humano (Self) se expressando em seus diversos momentos dos ciclos da vida – desde o nascimento até a morte, o aluno da educação infantil é o Self se manifestando em seus primeiros passos neste mundo, onde o Corpo e o Ego estão se desenvolvendo intensamente e se adaptando a nova vida (externa-interna) que se descortina a sua frente.

Podemos dizer que o Self aos poucos vai se mostrando, se revelando parcialmente, através daquele corpo e da personalidade consciente ou ego, que são as dimensões mais “visíveis” ou perceptíveis que temos acesso da Totalidade desse Ser, pois a dimensão inconsciente fica mais difícil percebê-la, o que exige grande habilidade, conhecimento e técnicas adequadas.

O professor, na perspectiva da Psicomotricidade Positiva, deve olhar para o corpo que se forma e para os seus movimentos, e nesses movimentos incluímos a fala, os gestos, ou qualquer outro movimento, como um símbolo.

O símbolo revela uma parte do seu significado, mas não tudo. Em se tratando de símbolo, sempre haverá algo a ser desvelado. Se por acaso, pudéssemos desvelar totalmente um símbolo, este deixaria de ser símbolo, seria outra coisa, mas não um símbolo.

Quando buscamos compreender os símbolos que aquele indivíduo está expressando em sua fase infantil, estamos na verdade buscando compreender quem é a pessoa que está se expressando através daquele corpo. Aquela pessoa está chegando ao mundo e trazendo seus aspectos “negativos” que precisam ser reelaborados e, seus aspectos “positivos” que devem ser fomentados.

A psicomotricidade, neste sentido, não deve ser vista como um conjunto de “exercícios psicomotores” a serem aplicados às crianças pequenas, como uma coisa mecânica vinda de fora para dentro, mas devem ser motivados como uma maneira de ajudar e facilitar aquele indivíduo a se expressar, e se expressando, possa se autoconhecer e se aprimorar. O papel do professor, no nosso entender, não se refere aquele que está lá para “corrigir erros” ou para moldá-lo de acordo com padrões que achamos socialmente corretos e aceitáveis, mas sim para auxiliar a criança em seu desenvolvimento, em suas dimensões coletivas e singulares, ajudando-a a reelaborar seus aspectos “negativos” e fomentar seus aspectos “positivos” ao desenvolvimento.

A motivação, como um impulso que vem de dentro, da vontade própria da criança, pode ser fomentado observando o que a criança mais gosta e dando-a liberdade de escolha. Uma boa referência é o Método Montessori em que o ambiente é estruturado visando oferecer à criança essa possibilidade para se expressar, experimentar, se conhecer e se aprimorar.

Outra boa referência é o nosso Projeto / Método Vida Pura, onde desenvolvemos as atividades em ambiente de clube social, que contém uma grande diversidade de estímulos, ambiente estruturado, organizado e bonito, que ajuda a criança a organizar seu mundo interno, psíquico, é junto à natureza e seguro.

Conclusão

A importância do professor no desenvolvimento psicomotor na educação infantil reúne em um só contexto, o professor como profissional da Educação, com sua missão pessoal, conhecimento específico e habilitação técnica; almas que estão iniciando sua trajetória neste mundo, cabendo ao professor não só dar a elas as boas vindas, mas ajudá-la em seu processo de adaptação em relação aos mundos interno-externo, ao mesmo tempo em que tem o importante, fundamental e incomensurável papel de fomentar o seu desenvolvimento de forma integral ou individuação.

A psicomotricidade assume um papel relevante neste processo de individuação, na medida em que é uma maneira extremamente importante de expressão desta individualidade, como também uma importante estratégia de intervenção, deste aluno que inicia sua trajetória neste mundo.

Para solicitar nosso eBook “Como Prescrever Atividades Psicomotoras” clique aqui!

As consequências deste início de caminhada ficarão gravadas nas almas destes pequeninos alunos que levarão esta experiência, boa ou má, para o resto de suas vidas, marcando de forma indelével suas almas, podendo influenciar de maneira marcante a vida desta pessoa e o que ela viverá em seu futuro. Em outras palavras, cabe ao professor da Educação Infantil o poder e a responsabilidade de influenciar destinos, contribuindo com sua parcela nesta oportunidade única de educar crianças pequenas…

Quero te pedir uma colaboração, comentando e divulgando este artigo nas suas Redes Sociais, basta comentar e clicar em “Publicar também no Facebook”. Grato!!!

lino

 Prof. Lino Azevedo Júnior

 

Saiba quais são os 7 passos para prescrever as suas atividades psicomotoras!

Receba eBook GRÁTIS em seu e-mail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *