Percepção temporal: Como percebemos o tempo?

Podemos dizer que o único tempo que existe de fato é o tempo do AGORA. É somente no AGORA que vivemos de fato e que tomamos decisões.

O tempo que já passou, que chamamos de PASSADO, é um registro em nossa memória. O tempo que virá, que chamamos de FUTURO, é algo que existe em potencial e que depende das decisões tomadas no AGORA para ser experimentado ou não.

Em termos mais simples, o PASSADO é o tempo que já se foi e o FUTURO é o tempo que ainda não chegou. Esta é a condição do AGORA. Esta é sempre a condição de nossa vida pois na verdade vivemos sempre e unicamente no AGORA!

REVISITANDO O PASSADO

Podemos revisitar as experiências já vividas, do AGORA, em nossa memória, ou em outras palavras, podemos revisitar o PASSADO visitando a nossa memória.

Nesta revisitação ou lembrança, vivemos no AGORA uma situação peculiar, que é aquela situação do AGORA em que revisitamos o PASSADO.

Em outras palavras podemos dizer que, quando nos lembramos de algo que já aconteceu, vivemos no AGORA a LEMBRANÇA. O fato lembrado não é o AGORA, neste caso, a LEMBRANÇA é a vivência do AGORA.

Ficou meio confuso? Então pense no seguinte: Neste momento do AGORA você está tendo uma experiência que é LER ESTE ARTIGO.

Você está, por exemplo, lendo sentado no sofá de sua casa, ao mesmo tempo que está absorvendo os estímulos conscientes e subliminares provocados pelo mundo externo ao seu redor, como cheiros, cores, formas, sons, etc. dentre muitas outras percepções e relações conscientes e inconscientes do mundo interno, que configuram a sua vivência do AGORA.

No AGORA você pode decidir ler o artigo sem se levantar do lugar, pode parar um pouco e ir tomar um cafezinho, ou em outras palavras, você pode criar e decidir como realizar o seu roteiro.

Então, simplificando, a sua experiência do AGORA é a leitura deste artigo que você faz acontecer de acordo com as suas decisões!

Pois bem, vamos supor que amanhã você esteja no seu local de trabalho e por algum motivo você lembre-se de que ontem você estava lendo este artigo no sofá de sua casa.

No AMANHÃ você estará tendo uma lembrança da leitura, muito diferente da leitura em si e de toda a experiência que você está tendo no AGORA.

A LEMBRANÇA é como se você assistisse à um filme que você mesmo foi o protagonista. Você poderá lembrá-lo, mas não poderá alterar o roteiro desse filme.

Quando uma pessoa tem uma experiência no AGORA que ela avalie como muito ruim ou traumática, ou em outras palavras, que lhe gere sofrimento, esta experiência é guardada na memória desta maneira, ou seja, muito ruim, traumática e que gerou sofrimento.

Quando a pessoa revisita esta experiência com sua lembrança, as emoções originais podem ser revividas. Em outras palavras, uma pessoa pode sofrer no AGORA emoções ruins que se referem a experiências de sua memória, ou em outras palavras, do seu PASSADO.

Isso acontece porque ela está vivendo no AGORA suas lembranças.

Ressaltamos que uma pessoa pode sofrer por alguma coisa que na verdade não existe mais no AGORA. Pode sofrer por algo que existe somente em sua memória.

Importante então, se fazer no AGORA, uma nova avaliação consciente da situação traumática existente na memória, transformando-a em algo que não lhe cause mais sofrimento.

Não se pode mudar o roteiro ou o filme gravado, mas se pode compreendê-lo e avaliá-lo de outra maneira.

E como se faz isso? Tentando compreendê-lo sob outras perspectivas, tentando compreender as dores, e quem sabe, os “equívocos” das outras pessoas envolvidas. Muitas vezes isso exige muita humildade, sensibilidade, compaixão com os outros e com suas memórias, ou seja, consigo mesmo, perdão e não-julgamento.

VIAGEM NO TEMPO

Não sei se você percebeu, mas no nosso exemplo fizemos um exercício de viagem no tempo.

Primeiramente viajamos ao futuro quando dissemos: “Pois bem, vamos supor que amanhã você esteja no seu local de trabalho […]”.

Viajamos ao futuro para depois, de novo, viajarmos ao passado, quando dissemos: “[…] e por algum motivo você lembre-se de que ontem você estava lendo este artigo no sofá de sua casa”.

E olha que neste exemplo foi tudo imaginação. Podemos dizer que viajamos à um futuro mais distante para depois voltarmos um pouco no tempo para um futuro menos distante.

É isso mesmo, através da LEMBRANÇA visitamos nosso PASSADO e através da IMAGINAÇÃO podemos viajar ao FUTURO.

Mas estas viagens no tempo só são possíveis no AGORA.

Só podemos LEMBRAR ou IMAGINAR no AGORA!!!

CONCLUSÃO

E porque tudo isso? Porque, na verdade, falamos da percepção do tempo e não do tempo em si. O tempo, de certa forma não existe, só existe o AGORA.

A sequência lógica de como percebemos a sequência de acontecimentos que nos dão uma noção de antes e depois, é o que nos dá uma percepção de tempo.

Afora esta percepção só existe o AGORA. Podemos dizer que o tempo como PASSADO-PRESENTE(AGORA)-FUTURO é uma maneira de que o Ego se utiliza para se organizar na terceira dimensão.

Quem vive sofrendo e/ou fixo no passado, ou ainda, preocupado com o futuro, não vive no presente, não vive no AGORA.

Imagine uma pessoa que vive fixa num acontecimento do passado desejando se vingar de alguém no futuro.

Quem vive assim não vive. Assemelha-se a um sonâmbulo que trabalha, estuda, tem sua vida social, etc., mas não tem consciência de Si-mesmo. “Vive”, mas não aproveita a vida, “vive” mas não aproveita as oportunidades que a vida lhe oferece. Uma hora se dá conta que a vida passou, acorda e, finalmente, começa a viver o AGORA.

 Prof. Lino Azevedo Júnior

lino

Comentários

comentários

Saiba quais são os 7 passos para prescrever as suas atividades psicomotoras!

Receba eBook GRÁTIS em seu e-mail... é só preencher + um clique!